Meditação Transcendental: do que se trata?

Para conseguir um maior descanso após um longo dia de trabalho, as pessoas têm buscado cada vez mais alternativas por meio de técnicas como a Meditação Transcendental.

Também conhecida como MT, trata-se de uma prática que traz consigo uma série de benefícios comprovados, que gera reflexos positivos tanto para a mente quanto para o corpo de quem é adepto.

Por mais que pareça uma nova vertente da meditação tradicional, a verdade é que a Meditação Transcendental é praticada há milênios, e pode ser realizada por crianças a partir dos 10 anos de idade.

Se você se interessou pela Meditação Transcendental e quer saber mais sobre essa técnica que é capaz de proporcionar maior qualidade de vida, basta acompanhar a leitura deste artigo até o final!

O que é e como surgiu?

A MT possui seus fundamentos na civilização védica, isto é, localizada na região do subcontinente indiano. O primeiro a desenvolvê-la foi o mestre espiritual indiano Adi Shankara, na ancestralidade.

Mais tarde, no século 18, o mestre indiano Swami Brahmananda Saraswati, ou Guru Dev, trouxe de volta a filosofia da Meditação Transcendental, que foi finalmente introduzida na sociedade por seu discípulo Maharishi Mahesh Yogi.

O termo “transcendental” vem do latim transcendere, e significa “transpor” ou “atravessar”. Em resumo, a MT é tudo o que está acima dos conhecimentos e ideias ordinárias, que é elevado e sublime.

A técnica se vale, principalmente, da repetição de mantras, que é uma palavra ou frase em sânscrito. Isso leva ao alcance de um nível mais profundo de consciência, uma vez que esses sons bloqueiam a manifestação de pensamentos repentinos.

Além disso, cada adepto da Meditação Transcendental recebe um mantra pessoal, e para começar a sentir resultados efetivos, é necessário praticá-la por 3 ou 4 dias seguidos, como ficará claro no tópico a seguir.

Como fazer a Meditação Transcendental

É importante deixar claro desde já que a Meditação Transcendental só pode ser aplicada por professores e instrutores treinados, que são responsáveis por escolher um mantra individual e secreto e repassá-lo ao aluno.

A meditação pode ser feita todos os dias em uma posição considerada confortável pelo praticante, e a recomendação é que a prática seja adotada 40 minutos por dia, em duas sessões de vinte minutos. Uma curiosidade é que ela não demanda um silêncio absoluto.

Nem mesmo a respiração demanda algum tipo de controle, mas o objetivo é que todo o processo aconteça de maneira natural, até que a mente transcenda, comece a se acalmar e chegue a um patamar conhecido como consciência pura, ou plenamente alerta.

Ao alcançar esse ponto, o corpo também é capaz de descansar, o que consequentemente leva a um estado de total relaxamento, que pode ser comparado ao estado de sono mais profundo.

Também conhecido como repouso em alerta, esse tipo de relaxamento pode melhorar uma série de aspectos da saúde, é responsável por eliminar o estresse e ainda reflete positivamente em áreas como a inteligência e a criatividade.

Diferenças com a meditação tradicional

Algumas pessoas costumam confundir a Meditação Transcendental com os demais tipos de meditação, como se fossem a mesma prática, ou mesmo chamam a MT de apenas “meditação”, o que é um erro, pois os termos não devem ser generalizados.

Na Meditação Transcendental não é necessário fazer esforço cognitivo, uma vez que trata-se de um modo natural de encontrar satisfação mental, isto é, sem fazer algum tipo de esforço.

Diferentemente de técnicas como o mindfulness, que demandam o alcance de três categorias principais: concentração, contemplação e transcendência, e o esforço cerebral para alcançar tais estados é relativamente alto.

Em adição, o relaxamento proporcionado pela MT proporciona um certo reequilíbrio dos hormônios e artérias, ao mesmo tempo em que reduz tensões que podem estar intensas demais.

Instrutores certificados em Meditação Transcendental explicam que Maharishi Mahesh, que difundiu a técnica para o que é hoje, sempre buscou ensinar que o objetivo é mostrar para o mundo que a MT é completamente diferente do que as pessoas entendem por meditação.

Popularmente, acredita-se que a meditação é o ato de controlar a mente. No entanto, ainda que seja feito o menor dos esforços para isso, que é o que as técnicas de concentração demandam, a mente permanece ativa, o que corrobora a teoria popular sobre a meditação.

Desta maneira, a mente não consegue transcender para o nível de pensamento ideal para meditar, tampouco passar pela experiência de silêncio profundo. Mas, na Meditação Transcendental, o processo ocorre de maneira totalmente consciente.

Vantagens da Meditação Transcendental

Há uma série de estudos que comprovam os efeitos positivos da MT, além de que grande parte dos praticantes relatam uma série de vantagens trazidas com a prática da Meditação Transcendental, dentre as principais:

  • Diminui a ansiedade;
  • Contribui no combate à depressão;
  • Estimula a inteligência;
  • Gera autoconhecimento;
  • Auxilia nos relacionamentos interpessoais;
  • Ajuda na criatividade;
  • Apoio para a superação de alguns vícios.

Além dos benefícios listados acima, podemos mencionar melhora no sono, maior estabilidade emocional, principalmente para lidar com os conflitos do dia a dia.

A prática frequente pode até mesmo alcançar a amígdala e reduzir sua atividade, já que este órgão é um dos responsáveis pelos instintos e sentimentos negativos, como o medo.

Há ainda o controle de doenças como diabetes e hipertensão com a prática correta e frequente da Meditação Transcendental, de acordo com um estudo da American Heart Association.

Áreas do cérebro beneficiadas

Ademais, o funcionamento total do cérebro também é beneficiado, afinal, ocorre o fortalecimento da comunicação de uma área do cérebro conhecida como córtex pré-frontal. Assim, o pensamento prático é facilitado, além da tomada de decisões.

Outra área do cérebro que também é beneficiada é o tálamo, que auxilia no processo de interiorização satisfatória para a meditação e para o recolhimento de si mesmo, e também realiza a conexão dos estímulos sensoriais ao sistema nervoso central.

Por fim, recomendamos que aposte nessa prática para passar pela experiência de meditação consciente e tirar suas próprias conclusões. Mas não temos dúvidas de que valerá a pena e você colherá bons frutos da Meditação Transcendental!

Gostou do conteúdo? Entenda mais temas como esse acessando nosso Blog Thelos.

Curtiu o conteúdo?

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Compartilhe no LinkedIn
Compartilhe no WhatsApp

Deixe o seu comentário!