Sofrimento e Reencarnação

Nesta palestra, o professor Huberto Rohden, inicia sua aula, citando sua última participação semanal, na televisão, no programa da Xênia, da TV Bandeirantes, onde responde à carta de uma telespectadora, indagando sobre o “motivo” dos inocentes sofrerem. E se isto não seria suficiente para justificar a tese da reencarnação, que muitos defendiam e ainda defendem.
O professor Rohden, na ocasião, ao não aceitar a tese da reencarnação, inicia sua justificativa citando no Antigo Testamento o livro de Jó, em seguida, cita no Novo Testamento um dos Evangelhos, especificamente a passagem sobre o “cego de nascença” (Jo.9:1-3), finalizando com as palavras do próprio Jesus, a respeito de seu sofrimento, proferidas a seus discípulos no caminho de Emaús.
Através destas citações Bíblicas, Huberto Rohden, justifica a lógica contida naquilo que defendia, nos proporcionando com isto, algumas reflexões e indagações sobre a maneira que pensava.

Como forma de ilustração, apresentarei algumas delas:

– Jesus, o Cristo, havia nascido perfeito? Já era Deus?
– Há sofrimento crédito?
– Deus é injusto, por nos deixar sofrer por débitos alheios?
– Há algo como uma “Justiça Cósmica”, que justifique os sofrimentos dos chamados “Santos”, e, sobretudo o sofrimento do próprio Cristo?
– É possível demonstrar pela aritmética os males e as maldades individuais e coletivas?
– Um homem altamente espiritual deve sofrer?
– Por que o inocente sofre?
– Todo sofrimento é pagamento de débitos próprios ou alheios?
– Há sofrimento crédito?
– Todo sofrimento é somente por débitos próprios.
– Quitar débitos próprios ou alheios constitui a finalidade principal da existência humana individual? Ou ”geramos” individualmente “créditos”, sendo esta a principal finalidade?

Curtiu o conteúdo?

Share on facebook
Compartilhe no Facebook
Share on twitter
Compartilhe no Twitter
Share on linkedin
Compartilhe no LinkedIn
Share on whatsapp
Compartilhe no WhatsApp

Deixe o seu comentário!