Religiões e Felicidade

Este áudio contém a última aula do ano de 1978. Aqui, o professor Huberto Rohden, afirma existirem alunos que já freqüentavam o seu curso de filosofia, a mais de 20 anos. Curso este que tinha o objetivo de responder a uma das perguntas mais antigas da humanidade: “Que sou Eu?” Ou ainda: “Que é o homem?”

Rohden acreditava que a falta deste “autoconhecimento”, era a causa de todos os nossos problemas, individuais, domésticos, nacionais e até internacionais! Para ele, era necessário em primeiro lugar, que o homem conhecesse aquilo que compõe a sua natureza, ou seja, o “Ego” (corpo, mente e emoções) e o “Eu” (alma, ou, espírito, ou, essência). Somente depois de conhecer a “fonte” (Eu) e seus “canais” (Ego), dizia Rohden, é possível ao homem ligar esta fonte aos canais. A isto ele denominava de “autoconhecimento” e “auto-realização”.

Afirmava também, que sem dar o primeiro passo (conhecer), não se pode dar o segundo (ligar). E quem ainda se identificava apenas com o seu “Ego”, desconhecendo o seu “Eu”, não havia dado nem ainda o primeiro.Neste áudio imperdível, o professor Huberto Rohden ainda fala sobre:

– As diferenças entre gozo e felicidade e sofrimento e infelicidade.
– Até onde as religiões podem contribuir para a felicidade.
– O que pensava Einstein a respeito de sua própria religiosidade e também sobre Moisés, Jesus e Gandhi.
– O porquê de muitas pessoas trocarem de religião.
– A diferença entre fanatismo e entusiasmo.
– As religiões, seus mestres e livros sagrados.
– A grande maravilha alcançada por Gandhi, na Índia, com a “plenitude do espírito”.
– A importância da meditação para quem deseja alcançar a felicidade.

Diadema, 29/03/2010

Claudio Campos

Curtiu o conteúdo?

Share on facebook
Compartilhe no Facebook
Share on twitter
Compartilhe no Twitter
Share on linkedin
Compartilhe no LinkedIn
Share on whatsapp
Compartilhe no WhatsApp

Deixe o seu comentário!