Entenda os benefícios da arte de pensar

Entenda os benefícios da arte de pensar

Desenvolver o pensamento desde a infância é o meio de criar sujeitos autônomos, capazes de pensar de maneira independente e conviver ativamente em sociedade. 

Você já se perguntou para que serve o pensamento? Essa é uma ótima questão! Em linhas gerais, podemos defini-lo como uma avaliação voluntária que uma pessoa tem diante de um fato, de uma experiência ou de um comentário. Essa avaliação aplica argumentos à situação para chegar até uma conclusão.

Continue a leitura a seguir e entenda mais sobre a importância de pensar!

Qual é a importância de desenvolver o pensamento?

Quando um indivíduo exercita o pensar de maneira crítica, vai desenvolvendo capacidades emocionais e socioemocionais muito importantes para o seu crescimento pessoal. Veja quais são!

Foco e disciplina

Muitas vezes, temos ideias equivocadas que acabam impedindo a realização de ações desejadas. O pensamento crítico ajuda a organizar essas ideias, a manter o foco em objetivos e a construir uma disciplina pelo resto da vida.

Isso acontece porque o primeiro passo ao avaliar uma situação de maneira crítica é a observação, tentando entender tudo que está acontecendo antes de tirar uma conclusão. Quando esse caminho é percorrido várias vezes em atividades escolares, é comum que a criança acabe levando isso para outras áreas da vida.

Criatividade

Ao organizar as ideias, é possível criar cenários, fazer hipóteses, pensar em outras pessoas, fazer escolhas e propor outras ações que estimulem a atividade cognitiva. 

Por isso, a expressão artística não é só resultado de impulsos sem sentido. A arte também pode ajudar a organizar pensamentos e emoções.

Inteligência emocional

Conhecemos a inteligência emocional como a habilidade de reconhecer e nomear as próprias emoções e as emoções do outro. Quando trabalhada adequadamente, a pessoa se torna capaz de construir relações mais saudáveis e fazer escolhas conscientes.

Pensar de maneira crítica ajuda a levantar questões sobre os próprios sentimentos: “O que eu estou sentindo?”, “Onde dói?”, “O que me deixou assim?”. Perceber o outro também vai se tornando uma habilidade natural: “O que levou essa pessoa a agir assim?”, “Como será que ela está se sentindo?”.

COMO COMPREENDEMOS NA THÉLOS, A ARTE DE PENSAR

O Pensamento é um produto final que ocorre no indivíduo, por meio das suas 4 Faculdades indissociáveis, a saber Fisico-Mental-Emocional-Essencial, a partir da sua interação com os fatores formativos, Geo-Social, Vontade, Influências Cósmicas e Hereditariedade. O Pensamento é o produto do processamento destas interações após a análise lógica e cognitiva com base nas informações que o indivíduo possui sobre o que se está avaliando. Denominamos esta amplitude da vivência de alcance HORIZONTAL, das QUANTIDADES, das frequências de UNIVERSO-FORMA. Porém, a Arte de PENSAR também poderá ser estimulada para acessar uma frequência mais elevada, produzindo em nós uma compreensão que excede a capacidade cognitiva. Estamos falando da vivência resultante do acesso às frequências além dos sentidos, é a vivência intuitiva, denominada também como uma “revelação”, da razão, do Lógos. É o que chamamos de processo VERTICAL, das QUALIDADES do Pensamento. Não é um resultado pelo “muito pensar e analisar”. Huberto Rohden em seu livro “EINSTEIN – O Enigma do Universo” diz que certa vez o cientista que era extremamente intuitivo teria afirmado que o fruto da sua compreensão e teoria havia sido resultado não apenas do seu esforço em pensar sobre o problema por 99 (quantitativo e horizontal) vezes, mas sim do 1 (VERTICAL, QUALITATIVO) que lhe havia sido dado por uma fonte incognoscível. Para Rohden, todos os grandes gênios da humanidade sempre se utilizaram do acesso à frequência VERTICAL, QUALITATIVA, através da intuição para obter suas teorias.

Para J.B.CASTRO, somente o ser humano, dentre todos os gêneros creados pela SUPREMA DIVINDADE, possui a capacidade de ANALISAR-INTUIR. As demais espécies com capacidade cognitiva, podem ANALISAR e decidir, ou agir por INSTINTO à sobrevivência.

O ato de PENSAR é esta capacidade de ANALISAR-INTUIR. O pensamento é criativo quando a referência é humana e é Creativo quando a referência é a SUPREMA DIVINDADE, em DEUS-VERBO.

Portanto PENSAR requer uma conexão com o TODO para compreensão de tudo, O UNO que verte em diversos, através dos quais podemos interagir e PENSAR sobre nós, sobre a vida, sobre um problema a ser resolvido. A CAUSA-INCAUSADA que causa todos os causados, e que podem ser motivo para a análise intuitiva, aprendizado e desenvolvimento QUALITATIVO da nossa espécie, e é tudo isto que nos faz tão diferente de tudo.

J.B.CASTRO compreendeu esta capacidade humana e afirmou que o maior expoente entre todos nós foi JESUS, o CRISTO, o CRISTIFICADO, o UNGIDO, o PREPARADO para a realização de uma proposição de DEUS para o UNIVERSO e o HOMEM, que pode ser encontrada no Livro de Gênesis, capítulo 1 verso 26. JESUS foi este homem, “Filho do Homem”, ou seja, “indivíduo do gênero humano, da humanidade”, que exercitou o PENSAR sobre a razão da existência, associando o conhecimento obtido por conta da sua origem hebraica, à experiência direta com a SUPREMA DIVINDADE, em DEUS, por ele chamada de “PAI”. Para entender a razão desta denominação, será preciso uma análise-intuitiva profunda, da relação de todos os textos das Escrituras Sagradas com a declaração da Proposição existente no Livro de Gênesis Capítulo 1 verso 26, somado à maior quantidade de textos produzidos pela humanidade, ensinamentos de sabedoria produzidos em todo o tempo.

A declaração proferida por JESUS, O CRISTO, “Eu e o pai somos um, eu estou no pai e o pai está em mim”, intrigou J.B.CASTRO, que admirava a capacidade deste JOVEM MESTRE de demonstrar em tão poucas palavras, a experiência, a vivência genuína do seu constante PENSAR em UNIDADE VERTICAL, QUALITATIVA.

E para o quê servia o seu PENSAR?

Ele “recebia em intuição VERTICAL, QUALITATIVA” do Pai, e aplicava na sua vida diária, para realizar a Proposição declarada no Livro de Gênesis Capítulo 1 verso 26, e era este processamento contínuo que dinamizava suas 4 Faculdades, qualificando toda a sua individualidade em QUALIDADE que o tornaria o CRISTO da SUPREMA DIVINDADE, em DEUS.

Para ler mais artigos relacionados, visite o nosso Blog!

Curtiu o conteúdo?

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Compartilhe no LinkedIn
Compartilhe no WhatsApp

Deixe o seu comentário!