Textos do “Tese, Antítese e Síntese”

Bandeirante Crístico do Infinito

Lançando um olhar sobre a estrada percorrida nesses decênios, verifico, Senhor, que eu, no início da minha vida Crístico-teotrópica, era mais dogmático do que hoje. Hoje, sou mais cético que dogmático, não por que menos creia em Ti e no Teu reino, mas porque mais consciente se me tornou a minha fé, fé no sentido de fidelidade ao Teu Propósito-Plano para o Universo e o Homem.

Cético, no verdadeiro sentido da palavra, não é aquele que de tudo duvida, que acha tudo incerto, vacilante, inseguro. Cético vem de skepsis, isto é, investigação, pesquisa, exame, experiência vivenciada… Cético é, pois, aquele que investiga, pesquisa, examina, procura, acha, experimenta, toma posse — é o Bandeirante Crístico do Teu Reino, meu Deus.

O dogmático afirma, abraça, encampa simplesmente a verdade, ou melhor, o que ele julga ser verdade, num absoluto processo de normose, onde não se questiona nada, apenas se aceita o que já está tradicionalmente pré-estabelecido….Que tipo de resultado ele colhe ?
O cético, de início, não afirma nem nega; mantém-se em equilíbrio lábil, silencioso, entre dois extremos, o que nós compreedemos como Terceiro Resultado Crístico; pensa, estuda, compara, analisa, pondera os prós e os contras; procura descobrir a solução objetiva Crística, real, para aquilo que o dogmático aceita como já solucionado.

O cético, de tão apaixonado das coisas divinas, eternas, quer todas as garantias para a existência e solidez do seu querido edifício metafísico,ou melhor, além da física, além do tempo, além das quantidades, para alcançar a Qualidade Atemporal, a Imortalidade !!! Cava bem fundo. Lança enorme alicerce na Rocha Crística do Conhecimento, com medo de que alguma tempestade ou algum terremoto violento lhe venham, um dia, destruir o querido santuário de seu essencial Crístico, sem o qual não pode nem quer viver.

O cético é, por isto mesmo, um intrépido Bandeirante Crístico da Verdade, não da verdade dos homens, das creaturas, mas da Verdade Objetiva do Creador, porque sabe que o finito não esgota jamais o Infinito; sabe que, por mais que ande e corra, nunca lhe faltarão horizontes ilimitados,pois no Crístico, por se tratar de qualidade e não quantidade, não há repetição !!! Nunca eliminará a distância que vai entre o seu ideal Crístico Vertical e a realidade horizontal palpável. Não pára em ponto algum. Nunca diz “cheguei ao fim”, porque se sabe eterno itinerante. Não levanta casa maciça a beira da estrada, ergue apenas ligeira tenda de nômade, que lhe dê guarida para uma noite, para um dia chuvoso e nevoento — e logo prossegue no seu itinerário de todos os dias, de todos os meses, de todos os anos e decênios, por ínvias florestas e desertos inóspitos, rumo a mundos ignotos…
Sempre com os olhos no horizonte Crístico…
Sempre em busca de algo que nunca viu, mas que sempre intuiu, através do seu Essencial Crístico…
Sempre com saudades duma pátria que o coração lhe diz haver …
O dogmático não procura propriamente a verdade, porque julga possuíla definitivamente. Vai apenas em busca de provas que apóiem o seu dogma e o justifique perante a própria consciência ou em face de inteligência alheia.
O dogmático é antes estático que dinâmico — ao passo que o cético é não estático, mas sim dinâmico.
Pode o dogmático viver em paz e tranqüilidade, gozando a certeza e doçura da sua fé, que sem o referencial devido, certamente o conduzirá para a sobrevivência, e não para a necessária e fundamental Imortalidade (“Deixa aos mortos o sepultar os seus próprios mortos”) —enquanto o cético, confessor e mártir do infinito, vive sempre na atmosfera duma anêmica e insatisfeita espiritualidade, busca esta motivada pelo Crístico, que sempre terá fome e sede, até encontrar e ser saciado pela “ fonte do Pão e da Água Viva que jorra para a Vida Eterna”…
O cético não se acha no ponto inicial da viagem, como o agnóstico; nem no pretenso ponto final, como o dogmático —mas entre o princípio e o fim, entre o “não” daquele e o “sim” deste, em qualquer ponto da jornada. Diz como Paulo: “Não tenho a pretensão de ter já atingido o alvo, mas voulhe à conquista a ver se o atinjo”.
Assim, Senhor, era eu naquele tempo Bandeirante Crístico das tuas selvas existenciais imensas, dos teus vastos desertos, dos teus horizontes sem fim…Tudo manifestação da Tua Grandiosidade !!!
Davame inefável satisfação saber que na direção em que ia estavas Tu e Teu reino — e enchiame de dor a distância que ia entre o têrmo da jornada e o ponto onde estava…
E assim será sempre, enquanto o meu finito não for absorvido pelo teu Infinito, enquanto este pequenino arroio não desaguar na vastidão do teu oceano Crístico…
Nem admira que assim seja. Como poderia o finito permanecer tranqüilo em face do Infinito?… Como poderia a pedra ficar suspensa no ar quando o seu centro de gravitação está no âmago da terra?. . . Como poderia a planta deixar de estender no espaço os sensíveis tentáculos da sua grande nostalgia heliotrópica, quando tão longe está da querida claridade do sol que a chama a si com silenciosa veemência?…
Não me dou por infeliz, Senhor, por ser hoje mais cético que dogmático, mais dinâmico que estático. Creio hoje mais firmemente do que nunca na tua Palavra, no Teu Projeto, no Teu Propósito, mas esse crer não é um inerte repousar nem um indolente estacionar. O lago plácido do meu antigo dogmatismo converteuse em impetuosa torrente vulcânica de bandeirismo, e essa torrente de larvas vai em demanda dos teus mares divinos… Podia eu tomar o meu lago de ontem por um mar — mas nunca a minha torrente de hoje me parecerá o teu oceano, meu Deus. Naquele tempo cria eu em ti e em mim—hoje creio em ti e descreio do meu ego Anti-Crístico—isto é, no meu Eu físicomental-emocional, que compreendo como meio para formação do meu Eu Crístico divino, que é manifestação de Ti mesmo…
Doute graças, Senhor, por esta dolorosa inquietude do meu espírito. Não é a inquietude do desespero—é a inquietude duma grande esperança Crística…
Uma coisa apenas te rogo, Senhor : não permitas que eu venha a cair vítima de um ceticismo narcisista; que não me enamore das águas do próprio Eu-ego, da venustez do meu semblante mental. Preservame dêste perverso masoquismo de eu me deliciar nos martírios íntimos da minha inteIectualidade itinerante, sem extrair o Terceiro Resultado Crístico necessário para a minha formação… Não permitas que eu me intoxique com a entorpecente droga da minha nostalgia metafísica, apaixonandome pela viagem e esquecendome do seu objetivo. Sei que esse funesto narcisismo acabaria por me embalar num sono mortífero e sustaria a minha marcha rumo aos teus horizontes eternos…
Sou um Bandeirante Crístico finito rumo ao Infinito…
O que nos revelaste é Infinito—o que compreendemos é finito. Em face do teu Ser Infinito compete ao homem ser dogmático—mas em face do meu conhecer finito só me compete ser cético…
Vivemos ainda no mundo do “espelho e enigma” — e não no mundo da realidade direta.
Vivemos na atmosfera do símbolo, que é relativo e humano —um dia viveremos na atmosfera Crística do simbolizado, que é absoluto e divino. . .
E a inquietude do meu Bandeirismo Crístico dinâmico terminará na quietude ao mesmo tempo dinâmica e estática, do teu “descanso eterno”…

Escalando o Himalaia Crístico

Outrora, desejava eu escalar o distante Himalaia da Ásia, longe de mim…
Em tempos passados, sonhava eu com enigmáticas aventuras em terras longínquas.
Naquele tempo, encantava-me a idéia de atingir as culminâncias do Everest e, solitário, perder-me em imensos campos de neve.
Hoje, me fascina a suprema audácia de galgar o Himalaia Crístico de Dentro, as alturas cósmicas do meu próprio ser…
em meio aos planetas, estrelas e todas as galáxias existentes.
Hoje, me seduz a divina aventura Crística de atingir o Everest do meu desconhecido Eu…
em meio à Aurora Boreal, na imaculada alvura da minha Qualidade Crística…
no silêncio da verdade infinita,
na mística Cristicidade do Eu Sou o Que Sou.
Esta foi a razão de eu haver ultrapassado o profano querer do meu conhecido ego tradicional.
E, bandeirante do infinito, vivo os meus dias e minhas noites em demanda do monte sagrado que, como o Sinai, dentro de mim mesmo se ergue, altíssimo, ignoto, desconhecido, Divino.
Então, em todos os meus sacrifícios encontro prazer
e em todas as minhas tristezas encontro alegria.
E, em todas as lágrimas encontro compreensivos sorrisos,
porque tudo isso são degraus da montanha sagrada,
estágios do meu Himalaia Crístico de Dentro.
E, ainda que tempestades desabem ao meu redor,
e inquisições e raios fusilem por cima de mim
e abismos negrejem sob meus pés,
ainda que sorridentes e floridas esplanadas me convidem a parar,
eu sigo avante, rumo ao Everest, vencendo os perigos,
com os olhos fitos no sublime ideal da minha suprema formação Crística,
rumo ao grande além de dentro.
Rumo ao Himalaia, alcançando o Everest do meu Espírito.


O Ser Infinito – Tese, Antítese e Síntese

O SER INFINITO é a DIVINDADE SUPREMA.
A DIVINDADE SUPREMA é a ETERNIDADE INCREADA.
A ETERNIDADE INCREADA é o INFINITO INCOGNOSCÍVEL.
O INFINITO INCOGNOSCÍVEL é a FONTE – VIDA de todas AS VIDAS manifestas em DEUS , por DEUS e para DEUS.
A DIVINDADE é a REALIDADE SUPREMA que realiza em DEUS A SUA INCOGNOSCÍVEL REALIZAÇÃO IRREALIZÁVEL.
A REALIDADE não realiza porque está sempre REALIZANDO a SUA REALIZAÇÃO EM SEU INFINITO SER – em DEUS.
DEUS é a primeira e única manifestação da SUPREMA DIVINDADE IMANIFESTA – por ser INFINITO.
DEUS é o PRISMA-TRIANGULAR que recebe do INFINITO A LUZ INCOLOR – E A TRANSFORMA em todos os “SERES” , na “GAMA COLORIDA” de todas as “CORES” DO COSMOS INFINITO.
DEUS na SUPREMA DIVINDADE é a VIDA INFINITA, INCREADA, ILIMITADA – SEMPRE AUTO-REALIZANDO – SE EM FONTES .
DEUS é a CAUSA INCAUSADA DE TODOS OS EFEITOS CAUSADOS – é o SUPREMO CREADOR DE TODAS AS CREATURAS CREADAS – é o ÚNICO PAI-VIDA QUE NÃO TEVE PATERNIDADE.
DEUS é a CAUSA E O CAUSANTE DE TODAS AS CAUSAS.
DEUS é a CAUSA-ÚNICA DE TODOS OS EFEITOS MÚLTIPLOS.
DEUS é o TUDO DO TODO – INFINITO E FINITO
DEUS é o “UNO” QUE TRANSFORMOU-SE EM TODOS OS “VERSOS” e “DIVERSOS”
DEUS é o “SER” QUE TRANSBORDOU-SE EM TODOS OS “TERES”
DEUS, O CREADOR, É ETERNO – O UNIVERSO É TEMPORÁRIO.
DEUS é o SER ONIPOTENTE, ONISSAPIENTE E ONIREALIZANTE – em SI mesmo – POR SER INFINITO E ABSOLUTO.
DEUS é o ÚNICO SER AUTO-REALIZADO E AUTO-REALIZADOR – TODOS OS OUTROS “SERES” ou CREATURAS” são REALIZADOS PELO ÚNICO REALIZADOR QUE NÃO FOI REALIZADO.
DEUS é a VIDA INFINITA SEM NENHUM “ANTES” OU “DEPOIS” – “ANTES” E “DEPOIS” É LIMITAÇÃO E FINITUDE.
DEUS é a REALIDADE REALIZADORA, QUE ESTÁ REALIZANDO A SUA MAIS GRANDIOSA E ESPANTOSA REALIZAÇÃO.
DEUS é o “SER” QUE “É” – ANTES DE TODO E QUALQUER “EXISTIR”. EXISTIR É FINITO – “SER” É INFINITO E REAL.
DEUS é o SER INFINITO E PERFEITO – A SUA REALIZAÇÃO é a SUA “TESE”- ANTERIOR A QUALQUER “ANTÍTESE”.
A TESE DE DEUS É: “FAÇAMOS O HOMEM À NOSSA IMAGEM, `A NOSSA SEMELHANÇA”, ou seja , ” FAÇAMOS O HOMEM PARA SER A NOSSA IMAGEM E SEMELHANÇA EM PODER, A NOSSA IMAGEM E SEMELHANÇA EM SABEDORIA E A NOSSA E SEMELHANÇA IMAGEM EM AÇÃO CRÍSTICA .
Os “SERES ANGELICAIS”, PERFEITOS,- não correspondem e não são a “TESE” de DEUS. Os SERES ANGELICAIS PERFEITOS e INTEGRAIS não possuem “LIVRE-ARBÍTRIO”. Não podem ser diferentes do que são – por sua própria natureza ou substância. Os “anjos” não são a realização da “TESE” de DEUS. Os Elohim não disseram “Façamos os “anjos” para ser `a nossa imagem e semelhança”. Não! O “PROPÓSITO” de DEUS é para o “homem ” – e não para o “anjo”. Os anjos, nunca, jamais, foram chamados de “Filhos de Deus”. Jó é o único escritor sacro que, em tratamento afetivo, chama os “anjos” de filhos de Deus – com f minúsculo.
Os anjos são os que formam os exércitos, os ministros, os colaboradores na “Creação do Universo”, e também têm a hierarquia que ministram a favor daqueles que hão de herdar a salvação, ou chegar a Filhos Crísticos de Deus. Os anjos, ou Seres Celestiais de Deus, são seus operários e colaboradores para a realização de sua “Tese” – não são propriamente seus Filhos – mas cooperadores ativos para que os seus Filhos sejam gerados, formados e feitos.
A TESE de Deus é crear um “SER”, o mais elevado possível, – que corresponda à Sua “imagem e semelhança “, em “qualidade” e “perfeição” – não em alguma “forma-Tempo”, pois Deus não possui forma – pois Deus não possue forma. Mas um Homem como Templo Vivo do Espírito de Deus possue forma, pois este é o filho do Homem que se fez, que foi formado Fiho de Deus.
Deus propõe a sua TESE ao homem, para que alcance a qualidade de Filho de Deus – sendo esta a Qualidade Crística de Filho de Deus, a chegada do Homem à Imortalidade em Perfeição, na insuspeitável e infindável felicidade.
MAS, como realizá-lo?…

ANTÍTESE : É com a Antítese que surge o fator mais estranho e paradoxal. Aqui é onde se encontra toda a problemática para ser compreendida – e difícil de se compreender.
O SER INFINITO é Deus – em sua Absoluta Perfeição. O Filho de Deus ou “imagem e semelhança” Sua é também para ser Perfeito. MAS a “Antítese” é o oposto da Perfeição. Portanto é o contrário, o inverso, por ser imperfeição.
Conclusão : a Antítese é “imperfeição relativa” de “bem e mal” na temporalidade. ANTÍTESE é “positivo e negativo” , VIDA e morte, LUZ e trevas, ALEGRIA e tristeza, em seu primeiro e segundo estágios provisórios, de formação em qualidade Crística e Anticrística, de compreensão e realização do Plano-Propósito de Deus, ou não, através do exercício do “livre arbítrio”, que só o homem possui aqui na Terra, Terra esta, da qual surgiu em “potencial” embrionário de animal-hominal, para se desenvolver através do tempo e no Tempo – fator formativo e realizador. “Antítese” é o recurso ou “meio” sem o qual Deus não realizaria a sua Tese ou Plano e Propósito, o qual já foi realizado por um Homem e em um Homem Modelo Luz Inacessível.
ANTÍTESE – É o Deus Infinito Absoluto e Perfeito em sua Essência manifestando-se em “existencialidade” de Macrocosmo – Universo, Creação de duração temporária e relativa, por prévia determinação ou Onipresciência de “Causa-Efeito” inconsciente de “Bem e Mal”. Porém, não se pode perder de vista a grande “finalidade”, que é a de produzir o Homem, que através do “tempo” como meio, cresce e desenvolve, pelo “Livre-Arbítrio”, a sua consciência Crística ou Anti-Crística de “joio” e de “trigo” – predominando mais a Qualidade que estiver em evidência no Homem – isto é, “no Microcosmo – Humano – Consciente”, superior ao “Macrocosmo-Inconsciente” da Natureza, do Universo, da Creação – a serviço do Homem.
O “ANTI” da “ANTÍ – TESE” é o contrário, o oposto, o opositor – o “pólo negativo” do Universo.
ABISMO E ABISMOS – é um ” Reino” que contém em seu seio muitos “Reinos” inteiramente negativos. O “ANTI” é formado pelo “ABISMO” e “ABISMOS” .. O ABISMO sustenta os ABISMOS e os tem em seu seio, na qualidade de seu “deus”. Os ABISMOS são “reinos” habitados por “Entidades Malignas”, produzidas na qualidade do ABISMO e dos ABISMOS, em hierarquias ascendentes de natural maldade, por qualidade de suas própria natureza – sem poder para ser de outro modo ou de outra forma. Esse misterioso e enigmático Reino de Trevas, com os Reinos Habitados por “entidades de corpos energéticos”, são totalmente “Trevas Negativas” sem qualquer luz da verdade”, – por ser o “Polo Negativo” da ANTÍTESE. Porém, o ” paradoxo” é que a Mãe-Creação é a Esposa do Creador, e a Terra o Útero-Materno, onde é gerado o homem para chegar a ser, pós- morte, Filho de Deus!… No “Primeiro e Segundo Estágios” de sua “formação” – além da “ANTÍTESE”, alcançando assim a “SÍNTESE” de FILHO de DEUS, – um terceiro resultado final da “TESE” e da “ANTÍTESE, de “MEIOS” pelos quais seja alcançado o Grande Fim.
Por ANTÍTESE compreende-se toda a Vida da Creação e do Universo; e todo o Tempo necessário para que realize o Primeiro e Segundo Estágios, ou o “Ciclo de duração” do Universo em seu processo oniprescientemente “Proposto e Planejado” na Eternidade Simultânea.
Tratamos da “ANTI”, do “Polo” essencialmente “Negativo” de toda a Creação, pois em Tempo-Espaço tudo é “Bipolar” em sua Dualidade, – embora haja Unidade Essencial.

PROCEDÊNCIA – Perguntamos “De onde procederam o ABISMO, os ABISMOS, as Entidades Malignas dos Reinos de TREVAS e Maldades? Como se explica a origem do Mal ?!… Foi-nos dito que a Suprema Divindade é Luz Incolor da qual defletem todas as Cores e Matizes!…
Que Deus é Luz Inacessível em seu Trino Aspecto!
Que é Supremo Poder no Pai em sua Infinitude;
Que é Suprema Sapiência em sua Sabedoria Infinita;
Que é Ação Suprema do Verbo em sua Atividade.
Portanto, se Deus em seus Três Elohim são LUZ, de onde então, surgiram as TREVAS e todo o MAL?!…
Se o Verbo assume a responsabilidade da “Creação de todas as coisas, e que nada do que foi creado e feito sem Ele se fez”?. Aqui também se pergunta : “De que “matéria” o Verbo creou “todas as coisas” incluindo todos os Reinos do Mal?!… Só há uma resposta lógica coerente e verdadeira : “Se o Verbo é Infinito, e, sendo o único Deus-Ativo-Realizador, e não havendo outras “Energias” senão Ele mesmo: fez tudo de Si mesmo”. Não pode haver outra explicação mais harmoniosa do que esta; a “tese” da preexistência da matéria é absurda; é espúria e sem base bíblica; e falha na lógica. Outra aberração é de que : “A Física precede à Metafísica”.
Porém, Deus, em sua soberania assume de vez toda e qualquer responsabilidade por tudo o que foi creado dentro de toda Creação em todos os tempos, dizendo: – “Eu formo a luz, e crio as trevas; eu faço a paz, e crio o mal; eu, o Senhor, faço todas estas coisas”. E, continuando, afirma ainda : “Vede agora que eu, Eu sou, e mais nenhum Deus comigo; eu mato e faço viver, eu firo e eu saro; e ninguém há que escape da minha mão”. (Is 45:7; Dt 32:39; Jo 1:1-3). Paradoxalmente nenhuma teologia ou qualquer ciência humana ainda conseguiu conscientemente compreender: na verdade este é o maior mistério da “ANTÍTESE” DE DEUS!…
Deus, inspirando Salomão para escrever com a visão anterior a qualquer Creação, informa a Sabedoria: “Quando ele preparava os céus, aí estava eu; quando compassava ao redor a face do abismo”. “Antes de haver abismos, eu fui gerada”. Este é o depoimento do Deus Sabedoria.
O grande Moisés também compreendeu este mistério, quando escreveu, dizendo : “No princípio creou Deus os céus e a terra. E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; “… (Pv 8: 27,24,26).
Aqui está Deus, pelo Verbo, que Se fez em “Trevas”, “Abismo” e “Energias” para serem condensadas em Universo, Terra e todas as “formas necessárias.” (Gn 1: 1-3).
É pois, nas “Trevas”, “Abismo”, “Abismos” que estão as “raízes” e as “origens” de todo o “mal” – necessariamente creados por Deus, e de Deus: por Deus ser o Único Infinito.

UNIVERSO ANTITÉTICO – A “ANTÍTESE” continua com o Universo em sua Dualidade Bipolar de luz e trevas; infestado de “entidades malignas” que o visitam sempre, porque foi creado no meio dos Abismos: entre o Grande Abismo e os Céus, afirmação esta de Moisés: “Pelo Deus de teu pai, o qual te ajudará, e pelo Todo-Poderoso, o qual te abençoará com bênçãos dos céus de cima, com bênçãos do abismo que está embaixo, com bênçãos dos peitos e da madre”. “E de José disse: Bendita do Senhor seja a tua terra, com o mais excelente dos céus, com o orvalho, e com o abismo que jaz embaixo, e com as mais excelentes novidades do sol, e com as mais excelentes produções da lua, e com o mais excelente dos montes antigos, e com o mais excelente dos outeiros eternos, e com o mais excelente da terra, e com a sua plenitude, e com a benevolência daquele que habita na sarça; a benção venha sobre a cabeça de José, e sobre o alto da cabeça do que foi separado de seus irmãos. Ele tem a glória do primogênito do seu boi, e as suas pontas são pontas de unicórnio: com elas ferirá os povos juntamente até às extremidades da terra”. ( Gn 49:25; Dt 33:13-17; Pv 8: 24,27,28).

SÍNTESE – Por estes enigmáticos “textos” citados espiritual e intuitivamente, pode-se compreender a complexidade que reside no processo de geração do homem Filho de Deus, – o “SER” mais elevado da Suprema Divindade, em Deus: superior a todas as creaturas, em todos os Céus, em todos os Planos Cósmicos, e em todos os sentidos possíveis! É a Creação e mobilização de Céus, Seres Angelicais, os anjos, Abismo, Abismos, anjos maus ou demônios dos reinos das trevas; Universo, Galáxias, Planetas, Terra, reino vegetal, reino animal, reino animal-hominal, homens – Crísticos, ou em Cristificação, visando o Primogênito de deus e o Salvador dos homens, através da Sua Aura ou do resplendor do Seu Espírito Santo, para dar condição também a outros homens, Seus Irmãos, chegarem a Filhos de Deus. Esta é a grandiosidade da Obra de Deus, da Vida Infinita, para formar o homem na qualidade de Seu Filho, – “Imagem e Semelhança Sua”, – em Supremo Poder, em Suprema Sabedoria e em Suprema Ação, na impronunciável e nunca sonhada Felicidade, pela Perfeição alcançada em Amor: “Qualidade do Espírito do próprio Deus – em cumprimento ao seu Propósito-Plano – ou “TESE” – depois de passadas por todas as “ANTÍTESES” de dolorosa FORMAÇÃO CRÍSTICA.

Vida Infinita – Suprema Divindade – Deus – Finalidade – Tese

Vida Infinita.
Qualidade – Perfeição
Deus Infinito – Atemporal
Projeto/Propósito – Plano
Unidade-Perfeição-Homem
Tese : Filho de Deus Imortal.
Façamos o homem para ser a nossa imagem conforme a nossa semelhança. (Gn 1 : 26)
Deus Imortal
Os 3 Elohim
Supremo Poder Absoluto – Suprema Sabedoria Absoluta – Suprema Ação Creadora Absoluta
Os 3 atributos manifestos da Suprema Divindade.
Vida Infinita
Luz Inacessível – Unidade-Perfeição – Qualidade
Manifestando-se em Luz Acessível – Dualidade-Tempo-Imperfeição-Quantidade
Trevas – Abismo – Abismos – Seres Abissais Finitos-Mortais
Eu disse Finitos-Mortais porque são finitos – meios.
E o Espírito de Deus pairava sobre a face das águas-luz energéticas, não águas H2O – a qual vem depois.
E disse Deus : Haja luz.
E houve Luz-Tempo nas trevas abissais.
E viu Deus que a Luz-Finita-Tempo era boa.
E a Luz-Quantidade-Tempo-Finita era boa – era boa para quê?!
Bondade Finita ou Bondade Infinita?
Qual o conceito de “bom”!?
Há “bom” e “muito bom”, disse Moisés em seu Gênesis.
“Muito bom” foi com referência ao Homem – a nós, homens!
A nós, pessoas humanas!
Não para agora, mas para um futuro Crístico ainda distante.
Estamos descendo no Tempo/Frequência-Luz/Energia/Matéria
Luz Condensada-Energia
Luz Congelada-Matéria
Estes são conceitos de Energia/Matéria de Einstein
para a Ciência atual – para a Ciência atual de nossos dias.
Subindo em Freqüências-Matéria-Energia – Luz – Luz/Tempo – Luz/Atemporal – Unidade-Perfeição – Deus – Vida Infinita – Suprema Divindade – Fonte Increada de todas as Fontes creadas ou manifestas.
Estamos exercendo, praticando, conscientizando a Lei da Repetição, sem a qual é e será impossível a Crística Compreensão.
Expressando de outro modo, Vertical-Horizontal, propomos apresentar uma página, um trabalho já recentemente escrito, ao qual foi dado o título de Equação Crística de Einstein, que ampliará e conscientizará a Tese, a Antítese e a Síntese de Deus para o Universo e o Homem, sendo a primeira parte deste trabalho anteriormente citada : Tese – Antítese – Síntese.
Esta é a Razão que dá sentido à Vida Essencial Infinita e à Vida Existencial Finita – “com muitas dores e poucas alegrias” em Tempo-Espaço, nas palavras e na dialética de Schopenhauer.

A EQUAÇÃO CRÍSTICA
SIMULTANEIDADE-PERFEIÇÃO-VIDA ETERNA : FINALIDADE

Infinito = Qualidade = Perfeição = Deus Infinito-Atemporal + Projeto/Propósito-Plano em Unidade-Perfeição = Filho de Deus Imortal.
Deus Imortal = 3 Elohim = Supremo Poder Absoluto + Suprema Sabedoria Absoluta + Suprema Ação Creadora Manifestadora Absoluta = Atributos Manifestos da Suprema Divindade = Infinita Vida = Luz Inacessível = Matéria-Prima para haver Céus e Terra = Homem à Imagem e Semelhança de Deus = Filho de Deus = à Máxima Realização = Perfeição = Vida Eterna Crística = Imortalidade = Amor Crístico, que, se não realizado = Segunda Morte onde não se conta o Tempo.

TEMPO-IMPERFEIÇÃO-MORTE : MEIOS NECESSÁRIOS
Tempo + Espaço Finito + Dualidade + Imperfeição + Abismo + Abismos + Entidades Abissais; Formas + Universo + Estrelas + Sol + Sóis + Planetas + Terra + Reinos Mineral, Vegetal, Animal, Animal-Hominal = Homem = Qualidade Crística + Anti-Crística, em Potencialidade.
Universo = Galáxias + Estrelas + Sol + Sóis + Planetas + Terra + Reinos Mineral, Vegetal, Animal, Animal-Hominal + Homem + Qualidade Crística e Anti-Crística, em Potencialidade = Unidade em Imanência, manifesta antagonicamente em Diversidade Bipolar = Homem Formado Cristicamente Filho de Deus.
Bem + Mal = Bipolaridade = Unidade do Infinito Imanente na Diversidade do Finito = Universo + Tempo + Meio Finito Formativo; Bem Crístico + Mal Anti-Crístico = Homem Formado Cristicamente Filho de Deus, como o Ser mais elevado da Creação no Projeto/Propósito-Plano de Deus -> que vai resultar em Vida Eterna e Imortalidade, ou Homem Formado Anticristicamente, Filho do Deus-Tempo-Finito -> que vai resultar em Sobrevivência e não em Imortalidade.
O Anti-Cristo atual, a seu tempo, + a geração da “Besta” (666) + Tribulação = Morte dos Crísticos + As duas Testemunhas x Morte de todas os povos, mas ainda em futuro distante, + Morte das duas Testemunhas + Fim da Forma + Singularidade = Nova Geração Crística + Nova Geração do Anti-Cristo com os Anti-Crísticos.
Nova Geração-Forma dos Crísticos e dos Anti-Crísticos (não ressurreição); Nova Geração – Forma da “Besta” (666) ; Espírito-Forma dos Demônios no Grande Lagar = a Vinda em Tempo-Espaço-Cósmico (em dimensão diferente do Tempo-Espaço da Ciência) do Super-Homem Jesus, o Cristificado, o Primogênito, o Unigênito; Milênio Crístico com OS Crísticos + Milênio Anti-Crístico com OS Anti-Crísticos.

Em Unidade-Perfeição Crística + o Milênio dos Crísticos + o Milênio dos Anti-Crísticos em Tempo-Espaço ; Lago de Fogo e Enxofre ; Prisão do Anti-Cristo, da Besta e dos demônios; Processamento da Segunda Morte para todas eles; Volta do Milênio Crístico dos Crísticos com o Senhor Jesus, o Primogênito-Unigênito de Deus – o Único que venceu a Morte e que hoje habita na Luz Inacessível; Volta do Milênio em Tempo-Espaço dos Anti-Crísticos para a Batalha do Armagedon.

O Filho do Homem, o Cristificado, no Arraial dos Santos Crísticos ainda em Tempo-Espaço, mas em dimensão de Unidade-Perfeição em Imanência Crística, em Deus; os Anti-Crísticos atacam o Senhor Jesus, o Alfa e o Ômega, o Cristo de Deus; o Senhor Jesus e seus Santos Crísticos irmãos revidam a investida com o Fogo Abrasador e Destruidor do Deus-Pai; Tempo-Espaço de Dualidade Quantitativa – ativa + o Processo da Segunda Morte; o Lago de Fogo e Enxofre, onde já estavam o Anti-Cristo , a Besta e os demônios, agora é ampliado ao tamanho de toda a Quantidade de Tempo-Espaço juntamente com os reinos Abissais. Satanás, o Tempo, Abadon ou Apolion já estava lançado no Lago de Fogo-Enxofre-Tempo = A Dualidade-Tempo, a qual volta para a Unidade-Perfeição-Deus-Suprema Divindade (“Deus reconciliando-se consigo mesmo”) = Deus, seus anjos e seus filhos crísticos, feitos à Sua Imagem e Semelhança. O Projeto/Propósito-Plano da Vida Infinita, em Deus, se cumpriu.
As Crísticas Bodas do Cordeiro; Celebração da Unidade-Perfeição no Reino da Luz Crística Inacessível, agora acessível aos Crísticos, sendo o Senhor Jesus o Pão Crístico Vivo, juntamente com o Crístico de Todos os seus Irmãos Crísticos no Seio do Deus de Abraão, do Deus de Isaque e do Deus de Jacó, o Israel Crístico de Deus, em Deus. O Vinho é o Espírito Santo da Plenitude Crística em Cristo – o Senhor Jesus – demandando Eterna e Infinitamente as Fontes Vivas das Águas Crísticas do Rio da Vida; deliciando Sempre e Eternamente com os frutos da Árvore da Vida – em Imortal Perfeição, Perfeição Crística procedente do Cordeiro de Deus, o Qual foi morto, antes da fundação do mundo, antes de qualquer Creação, por fazer parte do Projeto/Propósito-Plano de Deus para o Universo e o Homem; o Homem para ser Cristicamente – Filho do Altíssimo Deus – em : Poder… Sabedoria… e Suprema Ação por toda a Vida Infinita no Seio de Deus – o Pai – no Reino da Luz Inacessível… “E o Cordeiro guiará o Seu Rebanho para (conhecer) as Fontes da Água da Vida – em Gozo e Eterna Felicidade”… na Idealização do Projeto/Propósito-Plano de Deus na Suprema Vida Infinita para gerar, por Sua Própria Manifestação, a Jóia Crística, a preciosa Pérola Crística do mais alto Valor Crístico, de Seus amados Filhos Crísticos – através do Sumo Sacerdote Crístico, o Cristo da Ordem de Melquisedeque…

Este é o mistério que estava oculto, escondido, velado, até 1982, quando, então, foi completado; mistério este que vem sendo revelado, Cristicamente aperfeiçoado, através do Presidente-Fundador da Thélos Associação Cultural Crística – J.B.Castro – na qualidade de canal Crístico do Senhor Jesus, o Cristo, o Único Homem Cristificado, o Primogênito e Unigênito Filho do Altíssimo Deus – o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, o Deus de Jacó!…

Curtiu o conteúdo?

Share on facebook
Compartilhe no Facebook
Share on twitter
Compartilhe no Twitter
Share on linkedin
Compartilhe no LinkedIn
Share on whatsapp
Compartilhe no WhatsApp

Deixe o seu comentário!