Conhecimento e Revelação

Em 1945, foram encontrados, numa caverna no Egito, alguns papiros que continham pequenas sentenças, que mais tarde, os estudiosos, após muitas análises e pesquisas, concluíram ser o Evangelho do Apóstolo Tomé. Este Quinto Evangelho, diferente dos demais, traz apenas pequenas frases (aforismos), sempre iniciadas com as palavras, “Jesus disse”.

O professor Huberto Rohden, em seu livro, “O Quinto Evangelho”, traduziu e comentou 114 (cento e quatorze) destes aforismos. Nesta palestra, irá falar um pouco sofre o aforismo de nº 5 (cinco). Jesus disse: “Conhece o que está diante dos teus olhos e o que te é oculto, isto, te será revelado”.
Para Rohden, o “conhecer” depende de nós. A “revelação”, não vem de nós! Pela inteligência, nós pensamos, analisamos, conhecemos, e isto, é apenas metade do caminho. A outra metade vem pela revelação (inspiração, intuição). Pensar é importante, mas não leva até o fim, é apenas metade do caminho.
Albert Einstein, diz, “Eu penso 99 (noventa e nove) vezes e não descubro nada! Eu deixo de pensar, mergulho num grande silêncio e eis que a verdade me é revelada!”. Da mesma forma, afirmou sobre sua Teoria da Relatividade, “Eu não descobri nada, isto, me foi revelado”. Com toda certeza, depois de muito pensar.
Thomas Edison, inventor americano, diz, “Eu necessito de 90% (noventa por cento) de transpiração (pensamento, análise, conhecimento), para ter 10% (dez por cento) de inspiração (revelação). Fez 700 (setecentas) tentativas (experiências científicas), antes de conseguir inventar a lâmpada elétrica. Seus colaboradores queriam desistir, porém, os gênios nunca desistem, sabem que uma hora dará certo!
Afirmava Rohden, que os homens talentosos só têm pensamentos, já os gênios, recebem também revelação (intuição, inspiração). Que esta revelação vem de Deus (Da Alma do Universo). Benedito Spinoza, filósofo holandês, afirmava que “Deus é a Alma do Universo e o Universo é o Corpo de Deus”. Para Rohden, Deus, não é visível, não é uma pessoa. Deus é uma Força, é uma Vida Infinita, é uma Consciência Cósmica!
Entendia Rohden, que os “gênios” são como canais abertos, prontos para receberem as “Águas Vivas” do Infinito. O gênio, portanto, é um canal, que se liga com a Fonte Infinita (Deus). Nas religiões, os gênios são chamados de místicos.
Na meditação, primeiro se faz MUITA concentração mental, depois apagamos totalmente os pensamentos, desejos e sentimentos (silêncio absoluto), para se atingir a contemplação espiritual (inspiração, intuição, revelação). A meditação, portanto, consiste em esvaziar completamente os canais do EGO (ego esvaziamento), e ficar na expectativa da Plenitude de Deus.

Adverte Rohden, que temos que ser cautelosos, pois nossos nervos, não estão habituados a esta “invasão” Cósmica (que não vem do Cosmos, mas sim, de nosso EU espiritual), estamos apenas acostumados a pensar. Muitos pintores e músicos famosos chegaram inclusive a enlouquecer, no final de suas vidas. Por este motivo, isto deve ser feito pouco a pouco, para ir se acostumando, capacitando os nervos de nosso cérebro, para receberem este impacto, que vem de nosso “centro”, depois do silêncio absoluto.
Rabindranath Tagore, grande poeta da Índia, conta em sua autobiografia, que uma vez estava num beco imundo de uma pequena Cidade da índia, quando de repente, caiu em “êxtase” ou samadhi como dizem os hindus. Ficou tão maravilhado e feliz, que desejou perpetuar o seu samadhi, foi então para o alto de uma montanha do Himalaia na tentativa de “segurar” o seu céu. No entanto, lá mesmo perdeu sua ”inspiração”. Se convencendo de que “céu”, não é uma coisa fora de nós! Por isso, disse o maior dos Mestres, Jesus, o Cristo, “O reino de Deus está dentro de vós”.
Finaliza Rohden, dizendo que o Homem Integral é sempre bi polarizado (EU e EGO). O pólo positivo (Eu) e o pólo negativo (EGO). O pólo da sua naturalidade humana (EGO) e o pólo da sua natureza Divina (EU, Alma, Essência, Espírito). Que os sentidos fornecem a matéria prima para os pensamentos. E que a “inspiração” não depende dos sentidos, pois ela vem de Deus. O Homem Integral, portanto, deve “conhecer” o que está diante dele, depois esvaziar-se de todos os pensamentos, desejos e sentimentos, e aí então, lhe será “revelado” o que está oculto!

Desejo a todos, um NOVO ANO, de muita sede de “Conhecimento” e a Graça da “Revelação”!

São Paulo, 12 de Dezembro de 2010.

Claudio Campos

Curtiu o conteúdo?

Share on facebook
Compartilhe no Facebook
Share on twitter
Compartilhe no Twitter
Share on linkedin
Compartilhe no LinkedIn
Share on whatsapp
Compartilhe no WhatsApp

Deixe o seu comentário!